domingo, 27 de maio de 2007

Poderoso Karmann Ghia 68 com motor V8


Olá amigos,
Se original esse carro já provoca paixões imaginem com um Voitão embaixo do capo?
Pois é,pensando nisso foi que Paulo Maria Ribeiro e seu filho, Paulo Júnior fizeram essa transformação e mesmo com muito trabalho e muito dinheiro investido não se arrependeram dessa empreitada.
Leian tudo sobre a adaptação nessa reportagem originalmente editada pela revista Oficina Mecanica:


Ligar o motor chega a ser uma cena até engraçada. Se espera aquele ronco normal de um VW à ar e surge um "veoitão" nos seus ouvidos. Isso é o que acontece no Karmann-Ghia 1968 de Paulo Maria Ribeiro e seu filho, Paulo Júnior: ao invés do quatro cilindros contrapostos dois a dois do Fusca, há um motor Ford V8 302 (4.952 cc), "doado" por um Landau. Um Karmann Ghia de capota rígida foi adquirido seis meses antes, para realização dessa "missão (quase) impossível": colocar esse V8 no lugar do porta-malas dianteiro desse verdadeiro clássico nacional.

O primeiro passo foi desmontar o Karmann Ghia, separando a carroceria do chassis - sua construção é semelhante ao do seu "primo" Fusca - e começar a pensar como e onde ficaria o novo motor. Do chassi original, utilizou-se apenas as marcações dos pontos de fixação da carroceria. Todo o resto foi refeito em ferro tubular, com solda elétrica, acompanhando as medidas do novo motor, câmbio, suspensão, etc..

A funilaria da carroceria também foi feita "em casa". Paulo e Júnior decidiram fazer a "raspagem" total da carroceria, para garantir qualidade na pintura. Assim, removeram toda a tinta e fizeram a funilaria sem uso de massa plástica. Somente depois de tratada e que a carroceria passou pelo trabalho de repintura.

Sem dúvida a parte mais complexa foi a confecção do chassi e as decisões de como ficaria a suspensão. A maioria das peças usadas foram Chevrolet: molas dianteiras de Opala, assim como as bandejas de suspensão, extensores, barra estabilizadora e amortecedores. A bitola (distância entre duas rodas do mesmo eixo) escolhida foi a do VW. Assim, a original do Opala acabou tendo de ser "estreitada".

Na parte traseira também foram utilizados componentes GM: molas da Caravan, bandejas, amortecedores e suportes de Opala. A bitola traseira também foi "estreitada". Foram colocados calços nos "copos" das molas, caso contrário a traseira ficaria raspando nos pneus.


O motor Ford V8 302 e o câmbio automático foram retirados de um Landau e antes de serem "acoplados" ao chassi, foram abertos e refeitos. Como o motor passou para a frente, a travessa dianteira do Opala (cortada, encurtada e soldada), fez com que o cárter tivesse de ser redesenhado, apesar de manter a mesma capacidade de cinco litros.

A alimentação do motor V8 ficou a cargo de um carburador quadrijet Holley, de 600 cfm. O filtro de ar e o coletor de admissão são Edelbrock e a bobina é americana, da Mallory (importados). Na refrigeração, o radiador desenvolvido não foi suficiente. Foi preciso adaptar um outro, "extra", localizado sob o porta-malas. Este conta até com ventoinha elétrica.

Um carro projetado para ter um motor 1.5 refrigerado a ar agora tem um motor V8 de quase 5.0 litros. Isto significou mudanças em sistemas de segurança, especialmente freios. Os discos de Opala estão nas quatro rodas, "mordidos" por pinças do Kadett. A tubulação para o fluído de freio agora é em cobre, enquanto o cilindro-mestre e o hidrovácuo também vieram do Opala. Pelo menor peso do Karmann (em relação ao Opala), pode-se imaginar como o carro esta freando bem.



Sendo praticamente um "hot-rod" em termos de mecânica, visualmente o carrinho pouco tem de esportivo. Essa era a idéia: um carro "forte" e discreto. Os destaques são poucos: na tampa traseira há um emblema V8, a tampa do tanque de combustível, na lateral traseira direita, veio de uma moto RD 350 e as rodas são da picape Ranger, aro 14, com pneus 205/70. O capô dianteiro recebeu duas saídas de ar, "herdadas" do antigo Kadett GS.

Na traseira - onde era o motor VW e agora fica o porta-malas - foi colocada uma série de placas em alumínio azul, destacando ainda mais as mudanças feitas no carro.

Olhando o carrinho, não se tem a menor idéia do "estrago" que ele pode fazer. Mas internamente existem vários instrumentos Autometer (pressão de óleo, nível de combustível, etc.) e a alavanca do câmbio automático, no assoalho, que denunciam a presença de "algo mais", assim como os emblemas "V8" pelo painel. Um deles é vazado para que, a noite, uma luz faça-o "acender". O banco traseiro não existe mais. No lugar esta o tanque de combustível e os "falantes" do sistema de som.



A posição dos ocupantes, com as adaptações, não ficou das mais confortáveis. A parede "corta-fogo" (entre o motor e o painel) ficou muito próxima dos bancos, fazendo com que o motorista dirija com as pernas dobradas. O passageiro também "sofre", pois fica na mesma posição "esquisita", porem - se quiser - pode ate cruzar as pernas.

Como muitos componentes vieram do Opala, o Karmann Ghia ficou com "balanço" de Opalão e ótimo conforto. A direção hidráulica (caixa de direção de Monza), funciona muito bem, assim como o câmbio de Landau, que utiliza alavanca e mostrador de marchas dos primeiros Santana automáticos.

O ponto alto da dirigibilidade esta na maciez e na ausência de ruídos. Ao dirigir, só da para ouvir um "ronco" grosso e baixo, devido ao sistema silenciador adaptado no escapamento 8x2, que termina numa ponteira única lateral.


Puxar a primeira marcha do câmbio automático e sair forte num farol demonstra o que o carro pode fazer: o "pulo" e rápido e o motor "cresce" enquanto a traseira "senta" no chão.

Agora, o Karmann Ghia pode ser considerado "0 km": muitas peças novas, acabamento impecável em todos os detalhes, sem barulhos e tudo funcionando perfeitamente. O único problema e que se você quiser comprar um Karmann Ghia V8 destes, não existe outro. E este, especificamente, não tem preço. A única alternativa e gastar no mínimo R$ 50 mil, custo da criatividade da "dupla dinâmica". "O carro serve de cartão de visitas do nosso trabalho, em feiras, eventos e encontros", diz Paulo Jr., com um sorriso de satisfação.

3 comentários:

Dailson disse...

Só uma informaçao que tenho que gostaria de passar a voce amigo que ja existem outros karmann ghia V8 inclusive com cambio automatico e estao a venda, claro que tudo tem seu preço mas ja existe.
quero somente prevenir o amigo de que o seu nao é mais o unico
ahh
tambem queria dizer que pelo que vi nas fotos de seu karmann ghia voce fez um otimo trabalho
eu tenho um kg tambem mas coloquei motor ap

Anônimo disse...

Ola..gosto sempre de passar no seu blog..
parabéns..
estou começando um blog de carros e gostaria de receber comentários..
www.automobil.com.br/blog
abs

josé tavares de lucena disse...

Bom dia...Gostaria de saber se da certo colocar motor ap..2.0 no karmann ghia ano 75? Obrigado

Motigo